História da Opus Diversidades


A Obra Gay Associação (atualmente Opus Diversidades e anteriormente Opus Gay), é uma ONG, sem fins lucrativos e IPSS-Instituição Particular de Solidariedade Social, Entidade de Utilidade Pública portuguesa de defesa dos direitos das pessoas LGBTQIA+. Foi criada em 1997 e registada notarialmente por escritura em 9 de Abril de 1998.

O fundador, e presidente desde então, tirando um mandato de 2006 a 2007 de Valter Filipe, foi  António Serzedelo, até 15 de junho de 2020, sendo que, a partir dessa mesma data, e após eleições, o novo presidente é Hélder Bértolo.

A então Opus Gay organizou a conferência ILGA Europa 2002 até hoje a única realizada em Portugal.

Além do trabalho associativo direto, a associação também promoveu um programa de rádio, Vidas Alternativas, que começou na Rádio Voxx em 1999. Após a extinção da rádio em 2004 passou para emissão online sendo atualmente difundido por diversas rádios locais como a Rádio Universitária do Algarve.

A associação é referência não só em termos de comunicação social em Portugal para temáticas LGBTQIA+ como também junto de organismos oficiais tendo sido recebida, por exemplo, na audição parlamentar sobre pessoas transexuais.

Ao longo dos anos, tem feito lobby em várias frentes, e tem visto diversos desejos reais da população alvo serem realizados, em que se destacam o casamento entre pessoas do mesmo sexo, a adoção por ambos os membros do casal do mesmo sexo, a alteração do nome das pessoas trans nos documentos de identificação.

Há mais de duas décadas que saiu o 1º Manifesto português, logo após a revolução dos cravos, subscrito por diversas entidades da sociedade civil e personalidades conhecidas, incluindo António Serzedelo.

Assim, preconiza o apoio e defesa dos direitos humanos, a nível individual e coletivo, das minorias sexuais e étnicas e de intervenção social, laboral, política, ecológica e no domínio da saúde, nomeadamente através da prestação de cuidados e informação de medicina preventiva, mais orientada para o domínio das IST (Infeções Sexualmente Transmissíveis), sobre os problemas que afetam em geral a sociedade e especificamente os que dizem respeito às minorias referidas, bem como a integração social da população LGBT, em Portugal, através de um programa alargado de apoio, no âmbito social, garantindo a sua qualidade de vida, na luta contra a discriminação em função da orientação sexual e identidade de género e pela promoção da cidadania, dos direitos humanos, e da igualdade de género, etc.


Data da última atualização: 01/03/2021

Scroll to Top