Atividades

Principais Atividades realizadas pela Opus Diversidades (2020 – Presente)

  1. Projetos
    1. Apoio à Autonomização e Habitação de pessoas LGBTI+ e migrantes – conjunto de protocolos e projetos que visam a criação de (1) estruturas de habitação temporária e (2) serviços de informação e reencaminhamento, para autonomização e apoio à habitação de populações LGBTI+ nacionais e internacionais (migrantes).
      1. Reestruturação e formalização da CATE (Casa de Acolhimento Temporário de Emergência) da Associação, uma das poucas estruturas de autonomização para a população LGBTI+ em Portugal, sem critérios de pré-seleção;
      1. Protocolização de projetos de housing first no âmbito da (Estratégia Nacional para a Integração de Pessoas em Situação de Sem-Abrigo) ENIPSSA;
      1. GAM (Gabinete de Apoio ao Migrante), cujo projeto levou à criação de protocolos com a Rainbow Railroad Canada, o Centro Nacional de Apoio à Integração de Migrantes/Alto Comissariado para as Migrações (CNAIM/ACM) e a Organização Internacional para as Migrações (OIM);
    1. Centro de Conhecimento – divulgação de estudos e projetos de investigação (licenciatura, mestrado, doutoramento).
    1. Voluntariado – integração de pessoas voluntárias nas actividades e projetos da associação (redes sociais, organização de eventos e campanhas, apoio psicossocial, saúde e consumo de substâncias, criação de uma biblioteca comunitária LGBTI+);
    1. Apoio Psicológico – protocolo estabelecido com a Schema, para apoio psicológico gratuito;
    1. Rainbow Portal by Opus Diversidades – criação de um portal multiusos, financiado pela CIG;
  • Presenças e Assinaturas – projetos, redes e atividades das quais a Opus Diversidades é parceira/membro:
    • Conselho Local de Ação Social de Lisboa (CLAS-Lx) e da Rede Social de Lisboa;
    • Conselho Consultivo LGBTQI+ nacional;
    • Conselho Consultivo da CIG;
    • ILGA Europe;
    • Membro da Comissão Organizadora (CO) da Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa (MOL);
    • Protocolo de formações (Opus Gay Madeira), com a Câmara Municipal do Funchal e a Câmara Municipal da Ribeira Brava;
  • Ações e campanhas realizadas:
    • Intervenção política ao nível das questões das dádivas de sangue, com realização de campanha de rua, participação em projetos Lei, e convite da Presidente do IPST para participação em módulos formativos e capacitativos para a comunidade;
    • Integração e gestão financeira da Rede de Apoio Solidária LGBTI+, da MOL, que substituiu a Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa física, cujos esforços apoiaram de forma psicossocial a comunidade LGBTI+ mais afetada pela pandemia;
    • Celebração do IDAHOT (Dia Internacional contra a Homofobia, a Transfobia e a Bifobia), 2020 e 2021, com atividades junto da CML (Câmara Municipal de Lisboa), da CIG (Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género) e da SECI (Secretaria de Estado para a Cidadania e Igualdade);
    • Participação na Rede STOP Acordo EU-Mercosul – proteção do ambiente, do consumidor e comunidades indígenas no Brasil;
    • Participação na Campanha Lisboa Sem Sida #zerodiscriminação de 2021 (CML);
    • Intervenções várias perante Grupos Parlamentares, Deputados Únicos e Deputadas Não Inscritas, relativamente a assuntos LGBTI+: Lei da Autodeterminação da Identidade de Género, Expressão de Género e Protecção das Características Sexuais, discriminações sobre as dádivas de sangue, equipamentos sociais de habitação LGBTI+, entre outros;
    • Diversas campanhas de angariações de fundos (externas e próprias), cujas verbas remetem para as actividades da Opus;
    • Criação de um Centro Comunitário LGBTI+ na Madeira, coordenado pela delegação na região (Opus Gay Madeira). Esta delegação promove diversas formações a entidades e escolas na região, e apoio psicossocial;
    • Participação constante em painéis de avaliação da CIG, e de centros de investigação (Monitorização e Avaliação da Estratégia Nacional de Igualdade e Não-discriminação e do IV Plano de Ação para a Prevenção e Combate ao Tráfico de Seres Humanos (2018-2021) | CIEG – Centro Interdisciplinar de Estudos de Género, do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa (ISCSP-ULisboa); Estudo nacional sobre as necessidades das pessoas LGBTI e a discriminação em razão da orientação sexual, identidade e expressão de género e características sexuais | CIES – Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do ISCTE);
    • Realização do Podcast «Para Lá do Arco-Íris»;
    • Exposições e eventos culturais – exemplos como «Como se Sentirá uma Criança Após Ser Agredida Por um Adulto?» organizada pela Opus Diversidades, no âmbito do Roteiro da Associação Animar para celebrar o Dia Internacional da Juventude, na Casa da Cidadania de São Domingos de Benfica com diversos debates; lançamento do Dossier de Linguagem Neutra e Inclusiva, no Palácio Baldaya;
    • Participações em Discussões e eventos online/offline, organizados por instituições, organizações e coletivos ativistas;
    • Representações institucionais, em Assembleias Gerais de grupos políticos, lançamento de projetos de instituições e entidades;
Scroll to Top